Política de credito e cobrança nas empresas.

Artigo Carla Porto –

Vender a prazo implica conceder crédito aos clientes. “A empresa entrega mercadorias ou presta serviços e o cliente assume o compromisso de pagar o valor correspondente em uma data futura” (BRAGA, 2008, p.113).

Crendo nestas expectativas de que o cliente tem a obrigação de pagar pelo serviço ou produto que recebeu, as empresas utilizam de varias técnicas para não ter uma alta inadimplência, mas sabe-se que no dia-a-dia das empresas, o recebimento às vezes requer muita insistência, negociação e cobrança surgindo à necessidade de melhor avaliar os clientes antes da venda.

Ter uma política interna de crédito e cobrança na empresa é essencial para ter padrões de venda e liberação de credito, assim sendo concedidas essas liberações por meio de regras CLARAS E OBJETIVAS, permitindo não só o recebimento dos créditos concedidos aos clientes, como tendo o  menor numero possível de inadimplentes, como também recebendo em escala de tempo menor.

Conforme Hoji (2004, p.126), “antes de se efetivar uma venda a prazo para um novo cliente, deve ser realizada uma análise minuciosa e criteriosa do mesmo, procurando evitar que esse crédito concedido se torne tornar um valor não recebível”.

Tendo essa apreciação como base o cadastro dos novos clientes, as possíveis formas de concessão do crédito se tornam padrões, assim sendo eles todos analisados de todas as formas possíveis para evitar um possível prejuízo.

Só que segundo Sanvicente (2008), ao adotar uma política de credito e cobrança tem que se observar que a mesma não pode ser muito restritiva demais, pois acaba  diminuindo  a inadimplência, assim  provoca perdas de vendas.

Em uma política de crédito deve ser explicitado o padrão de concessão. Esse padrão representa os requisitos mínimos a serem atendidos pelos clientes para a venda a prazo. Padrões mais relaxados geram aumento de vendas e devedores duvidosos, padrões mais rígidos reduzem os problemas de cobrança, mas baixam as vendas e, possivelmente, o lucro operacional (SOUZA e CHAIA, 2000, p.48).

Tem que ser bem analisada e planejada política de credito e cobrança, pois a mesma vai se tornar umas das mais importantes ferramentas da empresa, dela serão geradas vendas e a entrada de lucros, tornando importante para a saúde financeira da empresa, pois contribuem para as vendas com qualidade  e a diminuição da inadimplência.

Só que ao contrario muitas empresas acreditam ser desnecessário ter uma politica interna de concessão de credito, pois se torna algo que atrapalha as vendas e acabam não adotando. Com isso contribuem gradativamente ao aumento de clientes inadimplentes.

Entre as duas possibilidades de politica a mais branda e a mais restritiva, o ideal é haver um equilíbrio entre a rigidez e a flexibilidade nas vendas e na concessão de crédito, para assim obter aumento nas vendas, com baixo risco de inadimplência, assim mantendo os operadores desta função muito preparados para situações que às vezes fogem de um padrão, sendo sempre responsável para decidir após uma minuciosa avaliação do cliente.

Contudo é necessário que a empresa efetue uma analise de seu segmento e seus  clientes e futuros clientes, para  adotar padrões de concessão de crédito, criando  normas e definindo critérios, para  facilitará na tomada de decisões fazendo com que a empresa aperfeiçoe cada vez mais, para não ter uma carteira de maus pagadores.

Carla Graziela Porto, colaboradora do escritório Giovani Duarte Oliveira, responsável pelo setor de Cobrança. Graduada em Processos Gerenciais e graduanda em Direito.

SEU NOME

SEU TELEFONE

SEU E-MAIL

ASSUNTO

MENSAGEM

Validação Captcha
captcha

Rua Defendi Casagrande, 82 - São Cristóvão, 

Criciúma - SC - CEP 88802-600

Telefone: (48) 3433 0123

Desenvolvido por Blueberry - Marketing Digital

Giovani Duarte Oliveira Advogados Associados © Todos os diteitos reservados