Cobrança de Mensalidades Educacionais em Tempo de Pandemia.

Artigo Carla Porto –

Já é de conhecimento mundial o momento atual é delicado que estamos vivenciando, em função a Pandemia do Vírus Covid 19, onde a rotina de tudo e todos mudaram de uma hora para outra, assim modificando todos os compromissos que éramos acostumados a cumprir, inclusive os financeiros que já geram muito prejuízo a muitas pessoas.

Dentro desses compromissos para muitas pessoas, está o pagamento da mensalidade escolar que é fundamental para a manutenção das atividades das instituições de ensino.

No inicio pensávamos que seria passageiro como de 30 a 60 dias, hoje já estamos com mais de 04 meses, e mesmo assim o vírus tendem em avançar mesmo com todas as medidas de isolamento social e o uso obrigatório de mascara, assim não permitido ainda o retorno do ano letivo, consequente levando a paralisação das instituições de ensino, obrigando a todos a necessidade de se adaptar ao novo contexto.

O que faz pais e alunos se questionarem sobre a obrigação dos pagamentos das mensalidades escolares durante a quarentena, sendo que as aulas estão ocorrendo de forma remota, na maioria dos casos em carga horaria reduzida, ocasionando assim para as instituições um numero elevado de inadimplência neste momento.

Umas das principais estratégicas para reduzir esse numero, se encontra em ter um contato constante com responsáveis financeiros, esse tipo de ação reforça o compromisso do pagamento das mensalidades escolares, além de possibilitar um diálogo imediato entre escola e responsável pelo aluno. É importante ouvir as particularidades de cada caso para que o cliente sinta que a escola se importa e está aberta a ouvi-lo e negociar novas condições.

Desta forma após estar em constante contato com o devedor e facilitar de todas as formas possível os pagamentos do debito em atraso, e informando as plataformas disponíveis para pagamento sem sair de casa como via Internet Banking, bancos digitais, cartões pré-pagos, transferência bancária, entre outros.

Ressaltando que como continua a cobrança, é necessário estar fazendo adaptações e mantendo as atividades escolares, assim as escolas continuem buscando soluções para adaptar as atividades pedagógicas, como uma forma de provar o esforço e trabalho, assim, justificando a manutenção da mensalidade. Se houver necessidade, em uma conversa de negociação, vale reforçar isso ao responsável.

Se ocorrer de não ter êxito nas formas de pagamento com os responsáveis financeiros, o importante e buscar alternativas como dar o poder de escolher por parcelar os esses meses atípicos e também que as aulas estão sendo suspensas, nos outros meses de parcelas normais, buscando equilibrar o valor nos próximos meses.

Resultado disso e que a escola não sai prejudicada e os pais e alunos não acumulam dívidas das mensalidades escolares durante a pandemia.

É muito importante neste momento tão delicado e atípico que estamos passando que haja compreensão, empatia e tolerância de todos os lados. Tanto pais, alunos, professores e gestores escolares estão sofrendo os impactos da crise gerada pela pandemia.

O ideal neste momento é sempre optar pelo diálogo para que esses impactos possam ser minimizados, principalmente em relação às mensalidades escolares durante a pandemia.

Carla Graziela Porto, colaboradora do escritório Giovani Duarte Oliveira, responsável pelo setor de Cobrança. Graduada em Processos Gerenciais e graduanda em Direito.

SEU NOME

SEU TELEFONE

SEU E-MAIL

ASSUNTO

MENSAGEM

Validação Captcha
captcha

Rua Defendi Casagrande, 82 - São Cristóvão, 

Criciúma - SC - CEP 88802-600

Telefone: (48) 3433 0123

Desenvolvido por Blueberry - Marketing Digital

Giovani Duarte Oliveira Advogados Associados © Todos os diteitos reservados